renoirluterolivre@ig.com.br

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

domingo, 20 de dezembro de 2009

CÃES IMPEDEM AÇÃO DE BANDIDOS NO FALSO CONDOMÍNIO

Viaturas da Polícia Municipal de Cotia circulando pelo falso condomínio.
A segurança privada não deu conta da pretensa função.
Mais uma vez, coisa apertou e foram obrigados a pedir socorro.
Assaltantes atacaram um caminhão de entregas numa via próxima, e tentaram refúgio no falso condomínio.
Cães de uma propriedade local deram alarme e os bandidos fugiram.

Estas cenas, relatadas como ocorridas em Dezembro de 2009, mostram a fragilidade destas besteiras que chamam de condomínio.
Mostram que, havendo policiamento público, chamado na hora do aperto e da incompetencia, não seriam necessárias empresas particulares nem fechamento de áreas públicas.

A ausência nacional dos governos nas medidas policiais e nas soluções das questões sociais que causam os crimes, é uma das origens da concessão para ocupação precária de Áreas Públicas. Mesmo assim, as atitudes de muita gente deixa ver que há uma complacência das pessoas, também quanto à questão segurança, permitindo e aceitando a colocação de serviços particulares nas áreas públicas. Tal fato é pura confissão e prova do fracasso da gestão da Segurança Pública e da falta de reação da Sociedade na busca de direitos de Cidadania. O fracasso das políticas, tal qual na Saúde Pública, na Escola Pública...também mostra que não dão mais conta da função, porque privatizam muito e se privatiza tudo. Acreditam os favoráveis a tais privatizações precárias, com visão deficiente, que muros, cancelas e guaritas impedirão crimes. Hoje acreditam que áreas públicas cercadas, concedidas a minorias particulares, como no caso de Bairros, e aqui desculpem a necessária e esclarecedora redundância, PÚBLICOS, apelidados de “condomínios”, serão soluções para o problema da insegurança. Vendem esta idéia como sendo salvadora, mas na verdade só engordam os caixas das empresas de serviços de manutenção e segurança privada. E privatizando, cercando, restringindo o acesso e a visão pública, fazem apenas sobrar verbas públicas para conhecidos fins políticos. Meios e fins políticos burladores, muitas vezes, da desejada aplicação pública destas verbas públicas. Parte grande das pessoas, complacentemente, vai deixando entrar estas distorções, ao invés de exigirem as devidas contrapartidas pelos muitos impostos pagos. E hoje em dia, estranhamente, ainda preferem pagar taxas extras mais impostos, somente para serem cercadas e exploradas.

Dr. Ricardo A Salgueiro
p/ MRLL

domingo, 22 de novembro de 2009

Nas Próximas Eleições

PENSEM NAS CRIANÇAS SEM AS RUAS LIVRES

PENSEM NAS MULHERES SEM MATERNIDADES LIMPAS

PENSEM NOS IDOSOS SEM DIGNIDADE, SEM PRAÇAS E SEM BANCOS

PENSEM NOS HOMENS DE BEM SEM RESPOSTA DAS INSTITUIÇÕES

PENSEM NAS URGENCIAS NÃO ATENDIDAS

PENSEM NOS BURACOS NÃO RESOLVIDOS

PENSEM NAS OBRAS ATRASADAS

PENSEM NAS CÂMARAS INEFICAZES E QUE NÃO FISCALIZAM

AS DORES DAS LESÕES, DAS FRATURAS, DAS QUEIMADURAS E DAS BALAS PERDIDAS SERÃO ESQUECIDAS

A FALTA PÚBLICA, DE POLÍCIA, DE SAÚDE E DE EDUCAÇÃO, SERÁ ESQUECIDA

AS PRIVATIZAÇÕES DE TUDO SERÃO ESQUECIDAS

AS PROVAÇÕES SERÃO ESQUECIDAS

OS ROUBOS, OS VALERIODUTOS, OS SARNEYS SERÃO ESQUECIDOS

AS VIAGENS COM DINHEIRO PÚBLICO SERÃO ESQUECIDAS

OS ATOS SECRETOS SERÃO ESQUECIDOS

AS PONTES E VIADUTOS CAÍDOS AINDA EM OBRA SERÃO ESQUECIDOS

A PRESSA ELEITOREIRA SERÁ ESQUECIDA

OS DANOS MATERIAIS E EMOCIONAIS SERÃO ESQUECIDOS
AS MORTES SERÃO ESQUECIDAS
PORQUE, NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES

AINDA VAMOS CORRER O RISCO DE SEREM ELEITOS ESTES MESMOS POLÍTICOS...
OU TALVEZ IGUAIS OU PIORES QUE ESTES MESMOS!


quinta-feira, 22 de outubro de 2009

ELE PAGA. VOCÊ ACESSARIA?


Prática inserta nos meios políticos, esta é a conduta de seus pares políticos nacionais, acostumados a pagarem e a comprarem tudo, inclusive votos, cabos eleitorais, mil propinas...

Assim, o deputado estadual Kennedy Nunes, de Santa Catarina, na falta de atrativos próprios em sua carreira política, deve achar ser normal e amplamente moral oferecer brindes ou propinas internéticas, para angariar mais frequentadores, seguidores de seu Twitter.

Esta é a moral cada vez mais corrente no meio social, meio este de onde veio e que elegeu o “nobre” deputado Kennedy.

Pagam-se taxas extras, contribuições para custear interesses, necessidades, comodidades, vantagens, privilégios, discriminações...

O poderio econômico vale mais que a capacidade, o esforço, o direito, as realizações...

Vale o que se tem de material, não o que se é de alma e vida.

O Jornal Folha de São Paulo publicou matéria na qual informa como o tal deputado do estado de Santa Catarina paga para ter acessos das pessoas a sua conta no Twitter.

MRLL


quarta-feira, 14 de outubro de 2009

FALECIMENTO


Na noite desta Terça-feira, dia 13/10/2009, faleceu por motivo de infarto do miocardio, o advogado Nicodemo Sposato Neto, da Avilesp, Associação das Vítimas dos Loteamentos do Estado de São Paulo.


Era morador de Cotia, Bairro Caucaia do Alto e ele mesmo mais uma vítima de uma associação que fechou ruas e "criou" mais um dos falsos condomínios da região, um tal de "Village", na verdade mais um Bairro - Loteamento do Município de Cotia.


O advogado Nicodemo divulgou e centralizou muito a causa dos moradores e proprietários nas cobranças financeiras feitas por estas falsas associações de bairro.
Mas no fundo entendia nossos princípios do MRLL contra a ocupação de áreas públicas.


Apesar das discordâncias que sempre tivemos quanto aos métodos de atuação da Avilesp, mormente quanto a ênfase da associação dele na briga contra cobranças, nós do MRLL lamentamos a passagem do advogado Nicodemo.


A absorção, sem devolução eficaz e incisiva do "veneno dos adversários", foi um fator que causou sua morte.

Na foto, o advogado Nicodemo Sposato Neto no Bairro Paisagem Renoir II e III, em 11/Junho de 2007, quando de nossa vitoriosa manifestação contra a colocação de portões na Estrada do Lutero pela associação local.


Dr. Ricardo A Salgueiro
Médico






terça-feira, 29 de setembro de 2009

COTIA, BRASIL, A VIOLÊNCIA DOS FALSOS CONDOMÍNIOS

VIOLÊNCIA CONTRA A ÉTICA
TAMBÉM É VIOLÊNCIA


EM ALGUNS LUGARES O COTIDIANO É O RETROCESSO.
E É TANTO QUE AINDA
VIVEM POLITICAMENTE ANTES DA CRISE MUNDIAL

A manutenção do poder das classes gera problemas e conflitos no dia a dia.

A pequenização do Estado, pregada pelas teorias do neo-liberalismo, foi contestada na prática pela explosão da recente crise econômica.

Apareceu a fraqueza da teoria da não produção, do abandono da coisa pública para a exploração e a especulação por terceiros.

Quando a coisa apertou com a queda dos rendimentos das Bolsas de Valores, os que antes se diziam não necessitados do Estado, passaram a procurar apoio e soluções nas verbas e na administração pública.

Isto prova que a teoria do Estado pequeno não se sustenta.

Partidos políticos apostaram suas ideologias na privatização por acreditarem não ser necessário o Estado como administrador da coisa pública.

Claro que no Brasil e em outros países semelhantes, encontraram ajuda nesta imposição, devido à má gestão pública até agora empregada no país.

Cabide de empregos, buraco sem fundo dos desperdícios de verbas, corrupção sem fim, favoreceram a justificativas então da tal “necessária” privatização.

Esta corrente de pensamento contaminou tudo, até governos municipais.

E com suas grandes imperfeições, se olhada à luz da Ética e das Leis, veio de encontro aos interesses das classes menos pobres do Brasil, sedentas de poder a qualquer meio e obra.

No caso específico da especulação imobiliária, a falta de Segurança Pública gerada pela diminuição dos cuidados administrativos públicos, veio mesmo para facilitar a venda da idéia do pânico e do medo.

Moda é morar nos pontos ou regiões de acúmulo de pessoas tidas como de grande poder aquisitivo, os “vips” ou “chiques”, caras sequestráveis e endinheirados.

Ao mesmo tempo, a idéia da possibilidade de ser também um “vip” e “chique”, gerou a procura por este objetivo.

Mas, os que não conseguem “ser” preferem “ter”, pois comprar é possível com o dinheiro emprestado das Bolsas.
Comprar é mais fácil que tentar “ser”.

Assim, os que não “são” procuram compensar o “não ser” no “ter”, comprando a prestações ou com grana da herança afinal, para dominar alguma coisa, para ter alguma coisa, pois é o que exige a Sociedade de consumo.

O SER nada vale. As pessoas valem pelo TER, que possuem.

Consumimos e assim, somos consumidos pelo próprio consumir que queremos.

A ganância por status social é fonte do consumo de tudo.

Mas como poder morar “tipo alphaville”, se o dinheiro só pode comprar ou a herança só deixou uma propriedade num Bairro da Grande São Paulo?

Ora, se não podem produzir ouro e jóias, pintam-se as coisas de amarelo e brilho.

Se as Leis não permitem, o jeito é fazer Leis que permitam!

Neste ponto entram os políticos e o “neo-liberalismo” conveniente aos dois lados interessados.

Para sobrar mais verbas nos orçamentos, reduzem-se despesas privatizando o que é público, e que mal administrado, dá muita despesa.

Em bolsões residenciais, os bairros são mudados.

Associações de Bairro, antes populares e livres, passam agora a serem tentadas por administradoras de condomínios, antes só verticais.
E agora vão chamar de “condomínio” tudo que for público mas, oficialmente particularizado.

Pronto, bolsões viram “condomínios” falsos.

continua....

MRLL

domingo, 6 de setembro de 2009

CUIDADO - NOS SEUS VIZINHOS PODE ESTAR UM BANDIDO!

A estrutura dos “condomínios” é cada vez mais contestável.
Transito para sair e para chegar em casa, altos custos de taxas, serviços mal prestados...
Cai a cortina de veracidade quanto a alegada forma mágica de pagar extras para associações e empresas particulares para ter "segurança".
Cai a cortina do sonho de consumo dos "condomínios".

De há muito há perda da prestação de serviço público de segurança. O mesmo acontece na Educação e Saúde.

Todavia, as classes menos pobres ou mais abastadas aceitaram o caminho do menor esforço e, sem reclamação, sem luta, sem requererem os direitos de cidadania, admitiram as leis dos falsos “condomínios” que criaram os bolsões “residenciais” como sendo seus redutos de pseudo segurança.

Desde há muito, observa-se que apesar da ocupação destas áreas públicas com restrições ao ir e vir dos moradores, proprietários e demais cidadãos e cidadãs e com imposição de cobranças de taxas extras sob o título de taxas de associação condominial, nada resolveram, pois a segurança não melhorou piorou.

Matérias jornalísticas mostram inclusive a presença de bandos dentro destes mesmos lugares, excluindo da palavra verdade absoluta a diferenciação para “melhor” daqueles que moram ou tem propriedades nestes locais.

ONDE ESTÃO MESMO TODOS OS BANDIDOS?


MATÉRIAS:

Polícia Prende Três e Apreende Cocaína na Grande São Paulo
01/09/2009
Três presos e 259,6 quilos de cocaína apreendidos foi o resultado de três meses de investigações feitas pelo Setor de Investigações Gerais (SIG), da 5ª Delegacia Seccional (zona leste). A droga, que vinha da Bolívia e passava por Mato Grosso do Sul, seria distribuída em São Paulo. A maior parte - cerca de 230 quilos - estava escondida dentro de uma picape Hilux, em um condomínio de classe alta em Cotia, na Grande São Paulo.Era ali que morava o comerciante Luis Carlos Tomei Daher, um dos acusados de liderar o bando. O outro chefe do grupo seria Luciano Leite Borges. Ambos foram presos pelos policiais da Seccional quando se preparavam, segundo o delegado Ítalo Zaccaro Neto, para entregar 34 quilos de cocaína no Jabaquara, na zona sul de São Paulo. Os dois iam passar a droga para Jorge Antônio Libor, gerente do grupo, encarregado da distribuição para os pontos de venda, quando foram abordados. Depois de prendê-los, os policiais revistaram casas em Peruíbe, no Parque Bristol, na zona sul, e em Cotia. Apreenderam quatro carros e um caminhão com fundo falso que era capaz de transportar 500 quilos de cocaína.


Denarc prende comerciante acusado de tráfico de drogas
Domingo, 26 de Novembro de 2006

O Denarc (Departamento de Investigações Sobre Narcóticos) prendeu, na manhã de ontem, o comerciante P.S.P., de 38 anos, procurado por tráfico de drogas. Dono de imóveis e empresas em São Paulo, o comerciante é suspeito de ter enviado um pacote-bomba que matou o pai de um policial, em Americana, há seis anos.Paulo foi preso no Aeroporto de Congonhas, às 8h30, quando chegava de João Pessoa (PB), onde estava morando. Do aeroporto, ele iria para um condomínio localizado na Granja Viana, sua residência na Capital.Os investigadores da 1ª Delegacia do Nape (Núcleo de Apoio e Proteção às Escolas) interceptaram o comerciante na área de desembarque do aeroporto. Ao ser parado, ele apresentou documentos falsos.Depois de interrogado, o comerciante confessou estar usando documentos falsos para continuar foragido, pois possui mandado de prisão expedido pela Justiça da Comarca de Piracicaba por tráfico de drogas.Os investigadores efetuaram buscas em propriedades do acusado, mas não conseguiram localizar a cocaína que estaria com P.S.P. No inquérito que investiga a morte do pai do policial, o comerciante figura como suspeito de envolvimento no crime.
Antônio Carlos Silveira - Assessor de Comunicação do Denarc

MRLL

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

DELEGADO DENUNCIA ABUSOS DOS FILHOS DA CLASSE ABASTADA NOS FALSOS CONDOMÍNIOS

Eles se julgam melhores que outros,
Eles se acham no direito de ocuparem áreas públicas e ainda as chamam de "seus condomínios".
Eles acham que todos os que são diferentes deles são bandidos, principalmente os mais pobres.
Mas, eles deixam seus filhos agirem nestas ruas públicas como delinquentes juvenis, os "pivetes chiques".
Mas, eles não gostam que punam seus filhinhos, pois os filhinhos destes ilegais são "importantes demais" para serem tratados como são tratados de bandidos e pivetes, os pobres!

Abaixo, transcrição da matéria do jornal Cotiatododia, em 23/08/2009.

(Notem o uso incorreto do termo condomínio até mesmo desde o nome do evento citado)

_______________________________________________
Fórum dos Condomínios
Menores são responsáveis por 10 infrações por mês nos condomínios
23/08/2009
Da Redação

A cada mês, acontecem 10 crimes cometidos por menores em condomínios e loteamentos fechados de Cotia. A informação foi dada pelo delegado titular de Cotia, José Aparecido Sanches Severo, durante participação no 1º. Fórum de Condomínios e Loteamentos Fechados da Região Oeste, que aconteceu neste sábado (22), no auditório da Faculdade Mario Schenberg, na Granja Viana.
Segundo estatísticas apresentada pelo delegado, só no ano passado, a Delegacia atendeu 124 casos envolvendo menores nos condomínios de Cotia. Destes 47 foram por direção proibida (menores de 18 anos no volante) e 77 por lesões corporais.
Nos primeiros 6 meses deste ano, ocorreram 27 ocorrências envolvendo direção proibida e outras 27 por lesões corporais.
A diferença, segundo o delegado, é que por se tratarem de menores a palavra "crime" não pode ser utilizada, mas sim atos infracionais. Mas o delgado alertou que mesmo dentro dos condomínios é proibido entregar os veículos a menores de idade e os responsáveis estão sujeitos a penas que variam de 3 meses a um ano de detenção.
Severo lembrou aos administradores que as vias dos condomínios também são vias públicas e estão sujeitas às mesmas regras de trânsito comum às demais vias.


LINK:
http://www.cotiatododia.com.br/cta/noticia/noticias.php?id_noticia=1314
____________________________________________________________

MRLL

domingo, 2 de agosto de 2009

Políticos nota ZERO na Globo - a festa continua - aconteceu em Fevereiro e em Julho

Apesar de alagamentos terem acontecido em Janeiro e em Fevereiro deste ano, quando o atual governo de Cotia já estava "governando", nada foi feito para correção do problema das áreas de risco, principalmente em vilas irregulares contruídas no Jardim Panorama e no trecho que isola o Bairro do Morro Grande.

A desocupação das áreas com moradias irregulares e a conseqeunte melhoria da qualidade de vida desta parte da população não interessa a estes governos, pois passa como medida "politicamente inconveniente" e ainda mais, gera custos nos orçamentos com despesas que nem sempre dão retornos satisfatórios aos políticos governantes.

Por este motivo, veem-se favelas disseminadas nas bordas de cidades das Grandes Metrópoles como acontece em Cotia, Município da Grande São Paulo.

O ex-secretário de obras do Cotia na gestão passada é o mesmo atual prefeito de Cotia, (Carlão Camargo), e nada fez para prevenir ou até mesmo resolver os problemas, nem na gestão como secretário, nem na atual como prefeito.

O atual secretário de Meio Ambiente de Cotia é ex-vereador da legislatura antecedente, (Laércio Camargo).

Observem na matéria da Rede Globo que o tal Laércio fala que ainda "vamos" fazer!

A população denunciou o fato a Rede Globo. (http://sptv.globo.com/Jornalismo/SPTV/0,,MUL1250900-16576,00-CHUVAS+DE+JULHO+ALAGAM+E+ISOLAM+BAIRROS.html)

O atual secretário de Obras de Cotia não se manifestou quanto às obras não realizadas desde Janeiro/Fevereiro deste ano, já no mesmo governo.

Com evidente paradoxo, o atual prefeito prometeu como prioridade, na semana próxima passada, obras de pavimentação para atenter a população de classe média da Região da Estrada do Capuava, área de localização do Bairro Paisagem Renoir II e III.

Ainda o atual prefeito vai participar em breve de uma reunião com alegados duzentos (falsos) condomínos de Cotia.

Enquanto isto para a parte menos abastada da população, só enchente e promessas!

MRLL

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Autuação por Crime Ambiental

Uma associação de um semelhante falso condomínio localizado em Nova Lima, Minas Gerais, foi autuada pela Polícia Ambiental do Estado por desmatamento e alteração ilegal de áreas de preservação.

Estas associações, estas pessoas que pensam que podem tudo porque seriam diferentes de todos nós, demais cidadãos e cidadãs, se enganam.

E nem vergonha parecem ter, pois a mesma polícia que prende bandidos, criminosos, autua os ricos, de certa forma alterando o padrão brasileiro de polícia só incomoda pobres, negros, prostitutas e outras minorias.

Assim entendemos que vale o Movimento.

Parabéns ao amigo Luís Lemos que luta, praticamente sozinho no local, no Muncípio de Nova Lima, Minas Gerais, mas com muito brio e dedicação tem conseguido merecidas vitórias contra a hipocrisia.

Nossas Saudações Livres a Luis Lemos!

vejam mais sobre o assunto: Crime contra a natureza: Quem você pensa que é, “Condomínio” Jardins de Petrópolis?, acessem: www.preservejp.blogspot.com

MRLL

terça-feira, 9 de junho de 2009

INDIGNAÇÃO POPULAR EM COTIA

foto MRLL - 06/06/2009
A imagem dos políticos de Cotia e do Brasil anda mesmo ruim, pois há óbvia falta de imposição de respeito ou há na verdade, imposição do desrespeito .

No Bairro do Rio Cotia, inconformada com a negligência dos políticos regionais, em específico os de Cotia, a população se expressou com toda razão.
Anos e anos sem passagem digna na ponte sobre o Rio Cotia na Rua Ladislau Retti, até quando uma empresa imobiliária, dentro de seus interesses, arrumou a tal ponte e fez uma passagem eficaz para veículos e também para pedestres .
Bastou isto para que, com justiça, a população constatasse a clara falta de respeito por parte da classe política.
E são os mesmos que estão ainda no poder no Município.
É o ditado popular: “respeita para ser respeitado”.

Respeito não é medo, é respeito.

E pelo andar das coisas, os políticos de Cotia a exemplo dos demais nacionais, não conseguem suscitar nem uma coisa nem outra.

Todo vandalismo é condenável, muito mais contra coisa pública.

Todavia, toda manifestação popular deve ser vista com seriedade e respeito, ainda mais nos dias de inércia e traseiros largos que vivemos.

A depredação do patrimônio popular é sinal claro da falta de EDUCAÇÃO, básica, familiar e escolar e também manifestação de que os limites estão próximos da sua borda.

Desde muito os valores éticos tem-se perdido na Sociedade brasileira, e o que se vê é apenas uma manifestação de má anarquia ou “bagunça”.

Como então esperar que na população não existam partes que em nada consideram a preservação destes valores?

Em graus variados, mães, pais, avós, tios, vizinhos, colegas, chefes, prefeitos, vereadores, presidentes, ministros, professores, muitos e muitas, não passam, não conseguem passar os conceitos éticos de educação para os seres em crescimento.

Assim, ainda durante este mesmo crescimento já aparecem as atitudes hostis, desafiando a ordem social como que devolvendo a esta mesma Sociedade a desordem que aprendem.

De tudo isto devemos tirar lições.

A Escola, particular e a pública, deveria trabalhar o entendimento destes conceitos éticos públicos. Mas se implantado, se vontades estiverem presentes, será um trabalho duro e sem prognóstico ou com prognóstico, agora desfavorável.

Quando professores são agredidos em salas de aula, quando a Escola é agredida, quando a figura social é desrespeitada, a coisa será mesmo difícil.

Origem igual, a ocupação de áreas públicas por associações de particulares também é uma depredação da ética e da coisa pública.

A reintegração das áreas públicas, desta ordem social, será uma grande vitória como exemplo de rumo certo.


OBSERVEM:
Na foto abaixo, do ponto de ônibus nas proximidades da Câmara Municipal de Cotia, além da pichação aparentemente “sem causa”, há a agressão dos cartazes contrariando a “lei cidade limpa” que tirou outdoors, faixas e cartazes das ruas, mas ironicamente, não impediu a colocação de cartazes nas barbas do legislativo local, “representantes do povo” .

foto- Cotiatododia


Na foto do muro, (Bairro do Rio Cotia-Cotia-SP), mesmo com erro de grafia e conjugação do verbo chulo, há manifesto sentimento de ofensa da população com o abandono, com a negligência traduzida tantas vezes, neste caso na falta de uma ponte eficaz inclusive para pedestres.

Dr. Ricardo A Salgueiro
Médico

sexta-feira, 22 de maio de 2009

A falência dos condomínios

Mais uma criança, inocente vítima dos enganos da classe média brasileira.
Mais uma vida humana perdida pela inútil carência de status social.


Jornal Folha de São Paulo, 22/05/2009

Cada vez fica mais clara no Brasil a falência do sistema de “condomínios”.
Por mais fechados que sejam, por mais tecnologia que tenham, por mais caros que custem, não resolvem a "neurose de segurança" de quem adquire imóveis e aceita este regime de morar.
Estou me referindo aos condomínios verdadeiros, pior é a situação dos falsos condomínios, espécie de “rolex falso” que a carência de status social da classe média brasileira achou um dia.
Em ambas as situações, agrava-se a coisa pela inegável conotação elitista destas propriedades e aberrações, excluindo a maior parte da população, criando a estratificação forçada das pessoas.
Isto, logicamente, interessa aos detentores de maior poder aquisitivo, pois podem satisfazer seus egos repletos de desejos de superioridade, orgulho e rejeição sobre quem necessita trabalhar para sobreviver prestando serviços a estas pessoas.
Teorias várias dizem da exacerbação da violência gerada por esta estratificação. Será?
Nos “bolsões” ou falsos condomínios a coisa tem, além da mesma discriminação e humilhação impostas dos condomínios verdadeiros, a hipocrisia, a mentira de chamarem de particulares as áreas públicas.
O caso de Rio Claro prova esta falência.
A Sociedade Brasileira precisa se convencer que sem exigência igualitária do direito constitucional aos serviços públicos em geral, não adiantarão condomínios e outras faláceas parafernalescas para garantias da própria vida.

Dr. Ricardo A Salgueiro
Médico
MRLL

sexta-feira, 1 de maio de 2009

PRIMEIRO DE MAIO E "BOLSÕES" DA DISCRIMINAÇÃO

AS CONQUISTAS DOS TRABALHADORES BRASILEIROS ADVINDAS COM A CONSTITUIÇÃO DE 1988 AINDA ESTÃO MESMO LONGE DE SEREM CONQUISTADAS.



Trabalhadores informais e formais que vivem das migalhas dos serviços da classe média nos condomínios irregulares da Grande São Paulo, e em outros espalhados pelo Brasil, sofrem com a discriminação, a perda de direitos, a falta de assistência e amparo organizacional de suas categorias.




Cadastros de empregadas domésticas, estacionamentos para prestadores de serviços externos ao "residencial" nas áreas públicas, tão falso como um rolex de barraca do "camelô da esquina, portões e cancelas com passagens mais laterais e diferentes para trabalhadores e moradores...são o quadro da discriminação feita no dantesco inferno criado por políticos municipais nos lugares que antes eram livres para todo o povo.

Diante da ausência dos políticos, os ocupantes do poder público de várias épocas e ocasiões, temos que agir de maneira solidária e cidadã.

Quando o MRLL tramitava a conquista de uma linha ônibus para amparar o direito ao transporte destes trabalhadores na Estrada do Capuava, região da Granja Viana, em Cotia, passando um abaixo assinado entre os moradores e cidadãos em geral, encontrou resistência por parte dos proprietários, moradores de classe média destes falsos condomínios em assinarem o pedido.

Isto mostra o grau de falta de solidariedade e o sentimento de ódio, de péssima origem, que estas pessoas de classe média, grupo de moradores mantém nestes “bolsões” de discriminação.

Muito prováveis resquícios de ditadura elitista, períodos escravocratas, estes sentimentos e atitudes denotam que a Sociedade está muito longe da evolução desejada e que a origem da ocupação irregular de áreas públicas é apenas um dos sintomas de um grande mal que acomete os dias de hoje.

Quantos "renoires", quantas "granjas vianas", quantos "residenciais" há no Brasil?

Dr. Ricardo A Salgueiro
Médico
MRLL

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Defesa Popular

A organização Defesa Popular de São Paulo, tal qual o MRLL, atua no sentido de promoção da Cidadania e respeito aos direitos de todos.
Ajuda no combate aos desmandos e mentiras de classes sociais e governos que estão somente interessados nos próprios benefícios, principalmente se para a obtenção destes benefícios for necessário atropelar os direitos da população.
Esperamos que a organização Defesa Popular não seja mais uma mera associação de "vítimas" que somente visa proteção do próprio bolso de seus associados.
As verdadeiras vítimas dos "falsos condomínios" apoderadores de áreas públicas somos todos nós, a população em geral, que fica impedida quanto ao acesso a seus direitos básicos, principalmente o direito ao acesso e ir e vir em locais públicos ora ocupados por minorias abastadas e discriminadoras.

ACESSE:

www.defesapopular.org

Dr. Ricardo A Salgueiro
p/ MRLL

sexta-feira, 3 de abril de 2009

POLICIA OBRIGA ASSOCIAÇÃO CUMPRIR ACORDO JUDICIAL

FOI MAIS UM ATENTADO CONTRA O DIREITO DE IR E VIR DE TODOS!
FOI MAIS UM ATENTADO CONTRA A LIBERDADE!
FOI MAIS UM ATENTADO CONTRA AS LEIS!

MAS,

O MRLL IMPEDIU E SEMPRE VAI LUTAR CONTRA ESTAS ATITUDES ILEGAIS!


No dia 01/04/2009 por volta de 7hs15min, mais uma das arbitrariedades da associação Sapar gerou mais danos a moradores do Bairro Paisagem Renoir II e III em Cotia
A associação Sapar acha que pode mandar em áreas públicas do Bairro e ainda mais extrapolar as Leis e as decisões judiciais.
Por desorganização desta associação ou por interesse em desrespeitar mesmo as ordens da Justiça, a associação “esqueceu” que em 1999, por meio da então presidente, assinou termo judicial de acordo, (veja abaixo), no sentido de garantia do direito de todos perante a Legislação de não utilizarem os serviços impostos, quase sempre com irregularidades, por esta associação.
Na manhã de 01/04/2009, crianças foram prejudicadas na chegada as atividades escolares; adultos, profissionais liberais, senhores e senhoras, trabalhadores, idem foram prejudicados em suas atividades de trabalho por culpa da desordem e da ilegalidade da associação Sapar promovendo mais uma “chatice” para os moradores e usuários das vias do Bairro.



O Código Penal, ECA – Estatuo da Criança e do Adolescente e Código Cível são algumas das Leis claras quanto a danos causados os direitos de todos.


AVISO AOS INTERESSADOS:

USAR “SELINHO” DA SAPAR, PASSAR SOB A GUARITA MAIOR, PEDIR SERVIÇOS AOS PORTEIROS E FUNCIONÁRIOS DA SAPAR, ETC... CONFIGURA PROVA DE ACEITAÇÃO E DE UTILIZAÇÃO DE SERVIÇOS DA ASSOCIAÇÃO SAPAR.

PORTANTO, É POSSÍVEL CONDENAÇÃO EM OBRIGAÇÃO DE PAGAR NOS PROCESSOS MOVIDOS CONTRA MORADORES

CUIDADO!
VOCÊ PODE ESTAR PRODUZINDO PROVAS A FAVOR DA ASSOCIAÇÃO E CONTRA SI MESMO!


Informações dos porteiros contratados pela Sapar ou pela administradora Verde indicam que havia ordem oriunda da diretoria desta associação no sentido de impedir a saída de moradores e usuários não associados pela lateral externa da guarita maior na Estrada do Lutero, assim confrontando ilegalmente e desafiando o acordo judicial assinado pela própria associação Sapar.

Porém, como sempre no momento necessário, nenhum membro desta diretoria aparece para manifestar-se e assumir as ordens dadas ou dizer mesmo quem mandou fazer o erro.

Em 1999, na passagem de caminhões havia uma corrente colocada ilegalmente pela associação.


Após tal acordo foi substuida pelos moradores não associados por uma cancela acionada por controle remoto, garantindo o livre acesso e o direito de não aceitarmos usar os serviços da associação.

As presenças da Polícia Militar e da Guarda Civil de Cotia, a qual, por Lei a associação Sapar deve obediência quanto a supervisão do “Bolsão”, garantiram a ordem e com instruções aos funcionários da empresa preposta da Sapar, ordenou o cumprimento do termo de acordo judicial e o respeito ao direito de ir e vir de todos em vias públicas.


MRLL

renoirluterolivre@ig.com.br

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

PMDB e outros...

COMENTÁRIOS:
renoirluterolivre@ig.com.br

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Comunicado 26 (em Dezembro de 2008)

ESTRADA DO LUTERO LIVRE DE PORTÕES - MAIS UMA VITÓRIA DO MRLL