renoirluterolivre@ig.com.br

sábado, 29 de dezembro de 2007

DENÚNCIA A SAUDE PÚBLICA DE COTIA














ATENÇÃO:
OS DOCUMENTOS ACIMA SÃO EXEMPLOS PARA A FEITURA E ENCAMINHAMENTO DE DENÚNCIAS CIDADÃS.
A página ao lado contém fotos e descrição da irregularidade denunciada.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

CENSURAR = FILTRAR = CENSURAR = FILTRAR


Em tempos remotos, a censura imperou no Brasil e os meios de comunicação até hoje ainda publicam matérias sobre o que acontecia nos “anos de chumbo” como costumam denominar o período dos governos militares.
Wladimir Herzog, jornalista, tornou-se um mártir e um símbolo de luta contra a censura a Imprensa com sua morte violenta quando preso numa repartição pública do setor de repressão policial da época em São Paulo.
Toda espécie de censura é e sempre será inaceitável!

...”Assim, sugiro ao jornal filtrar, para evitar de confundir o leitor, geralmente bem informado pelo Jornal d'aqui”.
(fonte edição número 470 – Jornal d’aqui –Granja Viana- Cotia-SP 21/12/2007)

A frase acima é trecho de uma carta enviada por um leitor de um Jornal regional de Cotia, (Região da Granja Viana), referindo-se a publicação em outra edição de outra carta de outro leitor, que por sua vez, se referia a um bairro do Município de Carapicuíba utilizando incorretamente para rotular tal bairro o termo “condomínio”.
Porém, o que vejo de grave neste trecho que faz parte da carta, apesar de em parte correta quanto a questão condomínio/não condomínio, é o que está debaixo ou atrás da palavra filtrar.
A palavra filtrar na transcrição acima deixa o seu uso mais corriqueiro que é no sentido de “limpeza”, “purificação” e “anti-poluição” para, num instante poluído de infelicidade passar por significado de – CENSURAR, TOLHER A AMPLA LIBERDADE DE EXPRESSÃO. Significa – “ACEITO LIBERDADE DOS OUTROS, MAS LIMITADA PELOS MEUS INTERESSES”. Significa- “SOU TOTALITÁRIO!” (no sentido controlador e ditatorial do termo).
No contexto da frase acima, a palavra filtrar é seguida pela colocação para evitar de confundir o leitor” que vejo como uma desculpa como se o autor da referida carta tentasse esconder a real intenção de censura, tanto pela não utilização da palavra censura quanto pela dissimulação da “boa intenção” para com a interpretação do leitor, (sem tocar no erro do emprego desnecessário da preposição “de”). Ou seja, o autor da carta emitiu uma mensagem para o redator do Jornal e uma outra mensagem, esta, dissimulatória e ao mesmo tempo, indiretamente repreensiva e repressiva, para o leitor menos avisado.
Um país e sua Imprensa, os quais se dizem democráticos, não podem conceber fazer censura a manifestação legítima de leitores expressando opinião própria, mesmo que esta opinião não seja a mesma da Redação ou da Diretoria do meio de comunicação ou até mesmo da maioria dos seus leitores, qualquer que seja este ou aquela opinião.
Um jornal que quer fazer história, que queira deixar sua marca ou permanecer por muito tempo ainda no conceito e aceitação dos leitores, não pode aceitar imposição de censura em seu Conselho Editorial.
Muitas vezes, estes pequenos jornais regionais são dirigidos por jornalistas oriundos da antiga esquerda brasileira, aquela que acreditava no Marxismo, idolatrava Che Guevara e a Revolução Cubana e que até pouco tempo atrás, aceitava o totalitarismo típico da extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas como um regime e sistema de governo aprovável. Agora, expostos ao conflito da democracia x suas antigas ideologias, são obrigados a tenderem para o lado político mais forte, o da democracia, e sentem-se muito mal quando alguma coisa traz à memória deles os tempos de repressão que sofreram, numa espécie de tortura do passado ressurgido no futuro.
A classe média brasileira não é um monumento contra a hipocrisia e age bastante demais com meios que são justificados pelos fins e pelas circunstâncias.
Atos de violência continuam sendo praticados mesmo após a evolução do cenário político brasileiro, como exemplo o que a classe média de um bairro fez com duas faixas de manifestação livre, legítima e democrática do Movimento RenoirLutero Livre em Novembro deste ano.

Quando interessa manter principalmente algum “status” conseguido a duras penas, como é próprio acontecer neste grupo social, ou algum interesse digamos, “político”, não mede esforços e deixa transparecer a própria alma, por vezes horrível e violenta.
Grupos étnicos constituintes desta faixa sócio-econômica até historicamente já foram assolados por preconceitos e exclusão, censuras de todo tipo, discriminação de raça e de idéias, mas nem por isto se lembram da própria história para aplicar princípios de igualdade para com outrem. Vale mais para eles a manutenção dos seus interesses pessoais ou do grupo atual e menos vale a preservação das liberdades democráticas, idem duramente conseguidas pelo povo brasileiro.
E mais, significa para a Imprensa que aceitar tal “sugestão”, um risco e uma ameaça à qualidade de seu conteúdo de informação e uma provável descrença de muitos em seu padrão de jornalismo.
A CAUSA BASE DA QUEIMA DAS FAIXAS DO MOVIMENTO É A MESMA CAUSA BASE DA FRASE DO AUTOR DA CARTA AO JORNAL D'AQUI?

É REPRESSÃO À LIBERDADE E AO DIREITO DE MANIFESTAÇÃO? (com gradações de violência).

Site interessante sobre o assunto: http://www.direitoacomunicacao.org.br/

(primeira foto - no início do texto - fonte- site do Observatório do Direito à Comunicação)
Dr. Ricardo Augusto Salgueiro
Médico
p/Movimento RenoirLutero Livre
comentários e/ou resposta as perguntas do final do texto, envie e-mail para :
renoirluterolivre@ig.com.br

domingo, 16 de dezembro de 2007

Um homem e sua ferida


“O mal é como as mulas: teimoso e estéril”.
Victor Hugo


Era uma vez, há muito tempo, um homem velho que vivia de pedir esmolas numa rua de uma cidade qualquer deste imenso Brasil.
Para conseguir as contribuições colocadas, uma a uma, em uma lata que antes fora de vermelha e doce goiabada, o tal homem utilizava do artifício de impressionar as pessoas expondo, como que em oferta comercial, uma enorme ferida em sua perna direita.
A ferida, na verdade uma úlcera de varizes, infectada e semi-tratada, que produzia pus e algum sangramento o que fazia aumentar a expressão de sua miserável condição e também trazia moscas em ataque que o homem espantava.
Mas a tal ferida lhe era querida, pois garantia a subsistência do homem e de sua mulher. A dor era até pouca e suportável perante os benefícios oriundos daquele, digamos, negócio.
Um dia, chegaram uns membros de um movimento de luta contra exploradores de bolsões de mazelas e de atendimento a pedintes de rua. Ofereceram ao homem atendimento médico e possibilidade de outro trabalho o que seria parte do fim daquela coisa.
O homem, temeroso de ser taxado como pilantra, foi como que obrigado a acompanhar, pelo menos uma vez, aquelas pessoas do tal movimento.
Um médico o atendeu e constatou que a ferida era curável, pois bastavam bons e limpos curativos e alguma medicação por uns dias e com paciência tudo estaria resolvido, podendo o pobre homem conseguir outra ocupação que não a de pedinte, vítima de uma ferida.
Ao chegar a sua casa, sua mulher perguntou:
-Então, foi até o médico?
-Fui.
Disse o homem.
-O que ele disse sobre a sua perna?
-Vai ficar boa se eu quiser tomar um remédio e se eu fizer uns curativos.
O homem pensou em parar com tudo aquilo, em procurar meios mais honestos de ganhar a vida, de ganhar afeto e calor. Mas já tentou de tudo, arriscou-se e fracassou e lembrou-se de ter sido um dia explorado por um mendigo de rua que lhe pediu esmolas e mandou depois rouba-lo num assalto.
Porém, apesar disto tudo e além da sórdida vingança, o miserável aprendeu a gostar daquela coisa de pedir esmolas nas ruas. Sentado ou deitado ao calor sol, agasalhado nos dias de frio, nenhum esforço ou risco maior de alguma perda nem o abismavam.
Ainda mais, o mostrar a ferida dava-lhe além de dinheiro, um certo calor do carinho, o agasalho de uma certa atenção das pessoas. Ele gostava de ser uma espécie de espetáculo, de “estrela do show” perante os olhares piedosos das mulheres e dos homens. Gostava de ser vítima daquela ferida crônica.
O homem pegou os remédios e disse que faria os curativos.
Mas a cada noite após seu “trabalho”, no escondido de seu quartinho, cavoucava a ferida anulando a cura que teimava em acontecer e reavivava aquela doença, sua parceira, sua “muleta” do dia a dia e cada vez mais fugia do tratamento médico que lhe ofereciam.
E assim, voltando para a rua, o seu negócio da ferida cada vez mais prosperava. Agora era o mais conhecido pedinte das ruas da cidade!
Famoso! Nos jornais, a imprensa divulgava sua presença e sua mazela.
Ele tinha até sócios e empregados. Alugava o ponto comercial para outras vítimas de feridas, mediante certo percentual sobre as contribuições, e ocupavam a via pública com seu asqueroso espetáculo.
Quando vinham os fiscais da Prefeitura para tirá-lo dali acabando também com seu bolsão de miséria, o homem contatava um secretário do Prefeito, pagava certas moedas e tudo continuava na mesma. Até conseguiu uns trechos de cimentos novos nas calçadas públicas, feito só para ele e seus sócios nos lugares ocupavam.
Os clientes eram cada vez mais contribuintes de um certo pedágio, mas como ele fazia questão de dizer, davam “parcelas voluntárias”.
O homem auto-geria seu negócio das feridas.
Agora, já não andava mais de ônibus ou trem: tinha seu carro que ficava em um estacionamento ali perto. Ao sair do "trabalho”, banhava-se em um hotelzinho de alta rotatividade das imediações, trocava de roupa e colocava bandagens limpas.
Mas, quem se recusava a dar sua contribuição, era taxado de “inadimplente moral”.
Um dia, observando uns administradores de negócios parecidos, o homem conseguiu cobradores aos quais pagava percentual. Estes cobradores perseguiam nas ruas as pessoas que não deram ou pararam de dar esmolas e aquelas que não davam dinheiro numa espécie de processo de cobrança, alegando serem impiedosos que enriquecem à custa de um pobre doente. Mesmo os que nunca passavam pelas calçadas das feridas eram cobrados como enriquecidos à custa de pobres pedintes. Hoje, o homem se diz o dono do assunto das feridas. Hoje ele é o presidente da associação nacional das vítimas das feridas e nem mais precisa expor a sua própria lesão que até não lhe incomoda mais. Agora, vive do sofrimento dos outros miseráveis pedintes das vias públicas.
Mas quem vê e conhece sabe que não passa de mais um infeliz!

A constatação da miséria da fraqueza é companheira inseparável da infelicidade:
(o autor)

Assim, como o homem da história, que é baseada em fatos reais do nosso País, certas entidades regulamentares, instituídas, evitam a cura das mazelas de que tanto se queixam.
Por que seria a existência deste estranho apego ao aparente grande sofrimento, pela miséria, pelo chão das ruas, pela condição de vítimas eternas de algo que não querem curar?
Lucros que lhes dão a sobrevivência? Atenção das pessoas? Interesses em outras moedas, políticas por exemplo, os votos colecionados para um futuro possível mas incerto?
Certas entidades que se dizem esforçadas lutadoras pela solução de problemas enormes, na verdade vivem da própria mazela que, cronicamente, denunciam e dizem combater. Mas o fazem até o limite da solução, já que a todo custo de dissimulação e efeitos, evitam atacar diretamente o problema para não curar “ferida dos lucros” extinguindo o mal, e estranhamente, sobrevivem deste mesmo mal.
Até algumas vezes tentaram curar o mal, mas o fizeram usando um procedimento ruim e fraco e perderam a chance de resolvê-lo para sempre.
E voltam ao mesmo mal. Até o aceitam, convivendo e moldando formas de fazer o mesmo mal, mas sob os olhares piedosos dos passantes que lhes atiram atenção e moedas de todo tipo e valor.


Dr. Ricardo Augusto do Carmo Salgueiro

Médico
p/ Movimento RenoirLutero Livre

Comentários para: renoiruterolivre@ig.com.br

domingo, 9 de dezembro de 2007

PERFIL DO CRIMINOSO DO RENOIR

Na mesma noite do ataque incendiário a faixas do Movimento (uma delas igual a da foto no final), o criminoso atacou outra casa de pessoa ligada a nós quebrando um holofote e causando dano com pedra no portão da casa.


Já temos um perfil do autor do delito:


Baixo nível sócio-cultural, mora no Bairro Renoir II e III, ataca também com agressões verbais e tentativas de intimidação, masculino, estatura acima de 1,70 m, pouco controle emocional, tem crises cíclicas de agressividade, é ligado aos interesses da Sapar (associação Sociedade Amigos do Paisagem Renoir II e III), ataca e circula pela Estrada do Lutero (uma das vias públicas do Bairro), tem acesso ao controle de circulação de veículos dos porteiros da empresa de segurança atual contratada pela Sapar.




MAIS INFORMAÇÕES PARA A POLICIA E DENÚNCIAS:

- (Disque-Denúncia) - 181

DELEGACIA DA GRANJA VIANA - (11) - 4702 -2822

Movimento RenoirLutero Livre
renoirluterolivre@ig.com.br

sábado, 1 de dezembro de 2007

ATO CRIMINOSO DE VIOLÊNCIA (Comunicado Número 16 - em Dezembro de 2007)






Cada vez que entro no Blog do Movimento R L L encontro panfletos e artigos extremamente importantes, como esse ultimo do ato de violencia em dar fogo em 2 faixas....Prova de incivilidade e passiveis de puniçoes previstas no Codigo Penal Brasileiro. Em poucas palavras no dicionario Aurelio se diz "piromania" = Mania de fogo, tendencia para incendiario.Esse incivil,(para ser educada e nao dizer palavras grosseiras), nao pode estar junto com outras, livres, deve viver como bichos ferozes e estar atraz de uma grade.Nao exagero. Pensem bem....E se uma criança estivesse passando ali perto e o fogo pegasse em suas roupas? E se uma faisca tivesse caido em uma arvore de folhas secas fazendo assim um incendio enorme?Paro por aqui. Fiquei chocada com essa atitude.Mais um motivo para que as guaritas sejam doadas para policiais e guardas, e que realmente a segurança comece a funcionar.Ao proprietario da casa onde ocorreu o dano, tem todo meu apoio para eventuais açoes civis contra o piromano, e toda minha solidariedade.Um abraço I. M. ( pelo M. R. L. L. ) - 02/12/2007

Quero compartilhar da minha sensação de total repúdio ao ato de vandalismo tomado com as faixas de manifestação legal. Pessoas de tal nível, como esta em questão, merecem ser excluídos da sociedade e no que depender da minha vontade, com certeza serão.Tanto o Movimento, como o blog Movimento RenoirLutero Livre, estão de parabéns por toda manifestação em prol de um Meio mais justo e melhor de se viver.Contem com mais um cidadão nesta batalha!!!
R.C.S. - 03/12/2007

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

O MELHOR DESTINO PARA AS GUARITAS - BASES POLICIAIS COMUNITÁRIAS:

QUE O PODER PÚBLICO VENHA REQUISITÁ-LAS!
OU
QUE SEJAM DOADAS VOLUNTARIAMENTE PARA SE TORNAREM ÚTEIS
BASES POLICIAIS REGIONAIS COMUNITÁRIAS!

A seguir, temos alguns exemplos de policiamentos que utilizam Bases Comunitárias:

Em São Paulo, Capital, a Avenida IV Centenário, Bairro Jardim Luzitânia e região, são policiadas por algumas Bases Comunitárias distribuídas em rede inteligente facilitando o trabalho. Assim, a população se sente segura e éticamente realizada pelo cumprimento do disposto na Lei.

A desculpa ilusória do mercado de empresas de segurança particular fica anulada pela extinção da necessidade alegada de "segurança" particular coletiva.

Também, o mercado das administradoras de onde veem os nichos dos falsos "condomínios" fica sem a alegação de imposição para obstrução/ fechamento de Vias Públicas com ridículas cancelas .

A comunidade atendida torna-se próxima do policiamento.

No Jardim Lusitânia, o transito continua fluindo livremente, sem interposição de cancelas e questionamentos constrangedores feitos aos passantes, e melhor, com a presença da Autoridade Pública cumprindo plenamente sua função.

ÁGUAS DE SÃO PEDRO -SP

Em Águas de São Pedro, belo e turístico Município do interior paulista, também existem Bases Policiais Comunitárias, neste caso sob a responsabilidade da Polícia Civil da Cidade.

Lá em Águas de São Pedro, da mesma forma não se vêem ridículas cancelas.
Muito menos as denominações estranhas como "residencial X ou Y" ou apelidos como "condomínio".
BAIRRO PAISAGEM RENOIR (II E III) -COTIA -SP
As guaritas do Bairro Paisagem Renoir podem muito bem melhorar sua destinação, tornarem-se nobres neste mister.
A pressão social por estruturas urbanas livres oriunda dos novos empreendimentos próximos, nas imediações do Bairro Paisagem Renoir e a decisão correta da Ação Civil Pública 1411/2002 que tramita nestes dias em Segunda Instância, no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, certamente levarão isoladamente ou em conjunto com outros fatores, a desobstrução da Estrada Municipal do Lutero.
É questão de tempo!


Ambas as guaritas hoje existentes no Bairro Paisagem Renoir não deverão ser destruidas e sim reaproveitadas para as instalações policiais.

Uma rede de bases policiais comunitárias, estrategicamente distribuída pelos Municípios, deverá suprir as necessidades de segurança pública.

E melhorará esta mesma segurança, dará mais empregos para policiais concursados, treinados e com poder de autoridade.

Dr. Ricardo Augusto Salgueiro e Sra. Luciana Giordano

p/ Movimento RenoirLutero Livre

comentários- endereçe e-mail para: renoirluterolivre@ig.com.br

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

RESPONSABILIDADE PÚBLICA

NO MEU CAMINHO HAVIA UMA GUARITA,


NO MEU CAMINHO HAVIA UMA CANCELA,


NO MEU CAMINHO HAVIA UM POLÍTICO!


Dentro do mesmo princípio, em relação a ocupação permitida pela Lei dos Bolsões de Cotia e legislação semelhante que assola outros municípios brasileiros, não aceito a presença de serviços de segurança particular ocupando espaços em áreas públicas o que é um dos fatores de inconstitucionalidade destas Leis em geral.
Todavia, é direito de cada um ou uma contratar serviços de segurança particular individuais, desde que estes serviços não causem problemas para outrem e desde que quem contratou assuma os riscos de danos eventuais causados por esta contratação e serviços.
Por isto sugerimos a doação destas guaritas para o Poder Público visando com isto a realização de um sonho: que os Municípios tenham rede de policiamento eficaz e ampla, reduzindo a criminalidade com ações públicas e extinguindo esta justificativa absurda de necessidade de imposição de seguranças particulares coletivas.
Em Cotia pode-se ver que esta ocupação com suas guaritas e cancelas gera prejuízos a população em geral com aumento dos percursos, atrasos nos percursos, constrangimentos e outros fatos.
Os ocupadores destas áreas alegam direito a “segurança” o qual têm previsto em Leis Nacionais enquanto cidadãos e cidadãs, mas que abandonam quando deixam de requerer seus direitos, não pela simples apatia ou pelo medo de represálias, mas preferindo pagar monetariamente para invadir áreas públicas.
Já ouvi de uma pessoa favorável ao fechamento de vias públicas queixa de que é “obrigado” diariamente “a dar volta maior para deixar” seus “filhos na escola” porque no caminho dele há uma “guarita de condomínio (bolsão)” que impede sua passagem por caminho mais curto.
Assim, se até quem acha que é ético e correto fechar vias públicas se sente prejudicado, como é que não tenta pensar nos outros cidadãos e nas outras cidadãs? Como um exemplo, pensem nos mais pobres que andam a pé ou que têm que, numa situação de urgência médica ou outra qualquer, arcarem com custo de tarifa de táxi com acréscimo de percurso causado pelos obstáculos impostos pela Lei dos Bolsões!
E o custo dos danos para a saúde, para a integridade física e emocional que perdas de tempo assim geradas acarretam?


Quem paga estes custos?

Estamos anexando à nossa lista de "links" neste Blog a Associação de Moradores e Amigos do Bairro Apolo que fica no Vale do Rio Paraíba, em São José dos Campos, SP.
Observem a gravidade da ocupação das áreas públicas neste Bairro de São José dos Campos. Há até o cinismo do fato que uma área de recreação pública ficar trancada com chaves em poder da “síndica” e só têm acesso quem paga taxas. E o mais grave ainda, nem imaginam a presença de pessoas de outros Bairros nestas áreas.
É o que pretendem tentar fazer, mas não conseguirão aqui no Bairro Renoir II e III.


Em Cotia, o ex-prefeito que assinou a Lei dos Bolsões é pré-candidato a prefeito para 2008.
Se fosse questionado, em uma possível Audiência Pública prévia ao pleito eleitoral, com estes argumentos e fatos o que diria?
Se confrontado com provas matemáticas e informado, nesta situação, de casos de danos gerados pela Lei que assinou como responderia e justificaria o que causou?


No Brasil ainda não temos punição direta e rápida para muita coisa, dentre estas coisas para erros e delitos de prefeitos, governadores, ocupantes de cargos de confiança dados por políticos e políticos em geral e também, para muitas categorias de funcionários públicos.
Erros administrativos em cargos públicos já deveriam ser punidos há muito tempo.
Assinaturas de ex-prefeitos e etc... constantes em decretos, atos administrativos, decisões tomadas enquanto nos cargos, deveriam ser objeto de valor, mas pelo que se vê, parece que se os políticos tivessem ou não assinado as mesmas coisas, as mesmas coisas teriam a mesma validade!


E mesmo parece que nada valem porque algum tempo depois voltam os mesmos como candidatos.


E até corremos o risco de serem eleitos novamente e como risco de “cobra que mordeu uma vez deverá morder mais vezes”.
Além disto, deveriam os políticos apresentarem obrigatoriamente, certificados de formação básica mínima em políticas administrativas quem dera feita em escolas isentas e de preferência, não particulares e provar conhecimentos científicos em "sabatinas" públicas.


O Movimento quer que todos informem a população em geral quanto a real face dos políticos candidatos para 2008.
Participem com ações de Cidadania
!
Se uma pessoa for conscientizada ter-se-á lançado uma semente que poderá multiplicar a informação e gerar ótimos resultados.

Dr. Ricardo Augusto Salgueiro
Médico
p/ Movimento RenoirLutero Livre



COMENTÁRIOS - ENVIE E-MAIL PARA: renoirluterolivre@ig.com.br

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Comunicado número 15- em Novembro de 2007 (UM ANO DO MOVIMENTO! 14 de Novembro de 2007)

14/Novembro/2006 14/Novembro/2007
ESTAMOS COMEMORANDO UM ANO DO MOVIMENTO!
SAUDAÇÕES LIVRES A TODOS!
"ótimo, muito bom.
até sábado"
Beto

14/Novembro/2006 14/Novembro/2007

ESTAMOS COMEMORANDO UM ANO DO MOVIMENTO!
Ana Cristina- Administradora de Empresas: "Excelente este comunicado número 15! Como todos os outros 14 já publicados, são sempre esclarecedores. Só não enxerga o que está acontecendo quem não quer!! Parabéns Movimento Renoir Lutero Livre".

Anônimo
:
"Cada vez mais forte!"

14/Novembro/2006 14/Novembro/2007

ESTAMOS COMEMORANDO UM ANO DO MOVIMENTO!

"Ola' a todos do Movimento R.L.Livre!!!!
Parabens a todos , participantes, colaboradores, leitores.
O Movimento " pegou pé " e cada vez mais acreditamos nele. O Comunicado N.15 (novembro 2007), e' bem claro e abrange alguns itens de enorme importancia. Bem escrito, claro, e condensado por haver tantos argumentos pra resolver.
Com tanta paciencia, e luta esta' alcançando as metas.
O abaixo - assinado por exemplo para haver conduçao regular para os Trabalhadores da regiao... e' um argumento que me toca o coraçao.
Esses trabalhadores teem todo o nosso respeito e apoio para haverem condiçoes melhores e mais favoraveis tanto para ir ao trabalho como para o retorno ao lar.
Nao deixem de assinar.
"Grazie" pelo encorajamento, organizaçao e tudo o mais que o Movimento faz...
Um abraço a todos.
Autorizamos a publicaçao desta email"

Isabel e Paolo Botardi (Italia)

14/Novembro/2006 14/Novembro/2007

ESTAMOS COMEMORANDO UM ANO DO MOVIMENTO!

"Prezado, Ricardo Muito bom os comentários no jornal dàqui, parabens , vamos que estamos no rumo certo da coisa clara e correta, poucos brasileiros lutam pelo oque é correto. Até sabem o que é perfeitamente correto porem se acovardam na hora de lutar por ela. E vamos até o fim com muita garra e força. Grande abraço Yoshi"

14/Novembro/2006 14/Novembro/2007

ESTAMOS COMEMORANDO UM ANO DO MOVIMENTO!

SAUDAÇÕES LIVRES A TODOS!

comentários - envie e-mail para - renoirluterolivre@ig.com.br

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Transporte Coletivo na Capuava - PARTICIPE!

A luta continua e juntos estamos vencendo!



Já recolhemos grande número de assinaturas para o Requerimento de Linha regular de Transporte Coletivo Municipal no trecho da Estrada do Capuava que fica entre a Rodovia Rodovia Raposo Tavares até a entrada para o Jd. Belizário, (próximo ao Centro Hípico Cotia), partindo do Terminal Central de Cotia.

Porém, observamos relatos que não nos supreendem mas nos deixam enojados diante da atitude desumana de pessoas mais abastadas e nem por isto menos pobres de espírito que rejeitam a necessidade dos que precisam de transporte para chegar aos locais de trabalho.

A Lei Áurea foi assinada há mais de um século, 13 DE MAIO DE 1888, ainda na época do Brasil Império, pela Princesa Isabel.
Algumas “patroas” que dizem morar nos “condomínios”, (paraguaios), porque na verdade e em sua grande maioria são BAIRROS de Cotia e Região, não têm permitido as suas empregadas domésticas assinarem o Requerimento para a Linha de Transporte Coletivo para Estrada do Capuava, ameaçando-as com perda do emprego. Vejam o que parece: ainda estamos na vigência da ESCRAVIDÃO!
Participe! Vamos conseguir!

Movimento RenoirLutero Livre
renoirluterolivre@ig.com.br

Ana disse,
Parabéns! Você foi brilhante em seu comentário!Estou para começar um abaixo assinado na minha região com a mesma finalidade e sei que vou enfrentar os mesmos problemas que você...as desculpas serão do tipo "ônibus" traz bandido ou ..."não quero que este lugar cresça"...Abraços,
4 de Novembro de 2007 11:56

Que Deus nos ajude, Ana.
Obrigado.

Ricardo Augusto Salgueiro

domingo, 21 de outubro de 2007

Condomínios Paraguaios II (PAGUE SIM E PAGUE MUITO CARO!)

Vocês acham que todo líquido pode ser chamado de água porque é líquido e parece água?
Vocês acham que toda pessoa que usa saia é mulher?
Claro que não, não é?
As falsas associações de bairro, assim permitidas, mas desvirtuadas pela pobreza que leva a prostituição com interesses de criarem “nichos” de mercado, negócios lucrativos que ocupam, absurdamente, áreas públicas e chamam estes locais de “condomínios” cometendo muitas irregularidades e até crimes.
Falar que mora num falso "condomínio" é tão ridículo como ser flagrado numa festa usando vestido falso de griffe ou usando relógio importado via Ponte da Amizade. Para não cairem numa situação ridícula, observem as diferenças ao se referirem ao local onde moram, visitem ou tenham propriedades.
Vocês gostariam?
Claro que não, não é?
Então nem tudo que tem guarita é “condomínio”. Cuidado com o cinismo dos falsos “síndicos” e “síndicas”.
Se voces moram num Loteamento e não num Condomínio Horizontal nunca digam que moram num "condomínio", num "residencial fechado" ou num "loteamento fechado".
E este fato é ridículo! Vivem da falsidade e da mentira de se iludirem e acharem que iludem a todos se fantasiando de “condomínios paraguaios”.
Para facilitar o entendimento de todos, consta abaixo tabela, (que pode ser impressa), onde vocês podem ver as principais diferenças entre Loteamento Regular e
Condomínio Horizontal.

Fonte- AMAPOLO (Associação dos Amigos do Apolo-S.J. dos Campos-SP)

Porém, se voce gosta da coisa, (paraguaia), passa sob as guaritas por que acha que é importante morar num "condomínio", (paraguaio), e não liga para o ridículo preferindo mentir se "drogando" com a falsa idéia de que mora num "condomínio".

Se você paga porque tem medo dos ilegais ou porque não se sente forte ou com capacidade para enfrentar as ilegalidades.

Se você gosta da "coisa" mesmo sendo falsa ou "paraguaia" e não quer pagar por se acha "muito esperto ou esperta" e quer "levar vantagem".

Se você acha que o Brasil é uma terra sem Lei ou que Lei é para os outros, de preferencia mais pobres de espírito e de dinheiro que você, e que moral ou respeito aos outros é coisa de idealistas.

Então nem reclame quando for cobrado na Justiça para pagar as taxas devidas mesmo pelo uso dos serviços das falsas associações de bairro.

Como eu gostaria de poder testemunhar e provar contra você e fazer com que você:

PAGUE SIM, E PAGUE MUITO CARO!


Movimento RenoirLutero Livre
Comentários para – renoirluterolivre@ig.com.br

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

SEGURANÇA ZERO

A falta de senso do que é público e coletivo, a falta de respeito à Segurança do Transito ou mesmo o claro e total desrespeito a Lei, coisa tão comum de acontecer na Região, fazem que uma imobiliária da Granja Viana invada e coloque diariamente sua placa de anúncio nos limites da faixa técnica de segurança, ("ilha"), da via pública (Av. São Camilo proximidades com o viaduto da Granja).
Tal fato deixa transparecer os indícios daquilo que também muitas imobiliárias fazem em relação aos direitos dos Cidadãos e Cidadãs quando, por exemplo, anunciam nos seus “sites” na internet, como “condomínios” os Bairros de Cotia e outros Municípios que atualmente estão permitidos como bolsões.
Ou fazem, direta ou indiretamente, quando ainda aceitam ocupação ilegal de áreas público-comunitárias destes mesmos bairros como se fossem benfeitorias a serem vendidas nos tais “condomínios”.
Até a tão anunciada palavra segurança, usada para se referir aos precários serviços de portaria dos tais “condomínios”, é esquecida no seu amplo sentido quando se trata da verdadeira Segurança do Transito que é de interesse público da grande população, mas que nada traz de lucros para estes estabelecimentos.
O Movimento RenoirLutero Livre denunciou a ilegalidade à Polícia Militar Rodoviária que averiguará a competência do trecho da via pública junto ao Demutran de Cotia, para as devidas providencias.

Movimento RenoirLutero Livre
renoirluterolivre@ig.com.br
Polícia Militar -190 / DEMUTRAN -COTIA- 4616-1651

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Imagine (Let's remember John Lennon)



IMAGINE
NÃO TER MAIS POEIRA
NEM BARRO PRA GENTE PISAR
É MAIS FÁCIL SE VOCE PODE RODAR

E SOMENTE PISCINAS E DIAS DE SOL PRA GENTE APROVEITAR

IMAGINE
TODAS AS PESSOAS MAIS POBRES
VIVENDO O HOJE BEM LONGE DE NÓS

QUEM QUER VER CRIANÇAS NUAS?
TODAS AS VERDADES CRUAS!

E VÃO BRINCAR LÁ NAS OUTRAS RUAS!


IMAGINE
NÃO EXISTIREM RAÍZES
NADA DE MATO OU PLANTAÇÃO
E TAMBÉM NENHUMA OUTRA VEGETAÇÃO

O MURO? NÃO É DIFÍCIL DE FAZER

IMAGINE
TODOS OS MORADORES AS TAXAS EM DIA PAGANDO
NADA DE PROPRIETÁRIOS RECLAMANDO
E NENHUM MOVIMENTO INFERNIZANDO

ACIMA, APENAS AS LUZES DOS POSTES NOS ILUMINANDO
EM BAIXO, O ASFALTO ESQUENTANDO E IMPERMEABILIZANDO

E A ÁGUA ACABANDO

IMAGINE
MUITA CORRUPÇÃO E ILEGALIDADE CAMPEANDO
E TODAS AS PESSOAS
SEM QUESTIONAR ACEITANDO E PAGANDO

E A MORAL SOCIAL DETERIORANDO



VOCÊ PODE DIZER QUE SOU UM GOZADOR
MAS EU NÃO SOU O ÚNICO
DESEJO QUE UM DIA A SUA FICHA CAIA
E VOCÊ ENTENDA QUE MORA NUMA COISA PARAGUAIA

IMAGINE
TUDO DELES
MUITO CONDOMÍNIO E RESIDENCIAL
SOMENTE ESTAS PESSOAS PARTILHANDO O QUE É PÚBLICO

E O ESTADO SÓ PARTICIPANDO DO QUE É O MAL

IMAGINE
UMA ASSOCIAÇÃO SEM PREOCUPAÇÃO
OCUPANDO E USANDO O QUE NÃO É DELA
INSISTINDO MESMO SEM TER RAZÃO

E AS AREAS PÚBLICAS SUMINDO DE MONTÃO



VOCE PODE DIZER QUE SOU UM GOZADOR
MAS EU NÃO QUERO SER DAQUELA PRAIA
DESEJO QUE UM DIA A VERDE SAIA E
QUE A VERDADE FIQUE
E NO BAIRRO, ENTÃO,
TUDO SE DIGNIFIQUE!

__________________________________________________

Movimento RenoirLutero Livre

comentários para : renoirluterolivre@ig.com.br

___________________________________________________

IMAGINE (JOHN LENNON)

Imagine there's no heaven,

It's easy if you try,

No hell below us,

Above us only sky,

Imagine all the peopleliving for today...

Imagine there's no countries,

It isn’t hard to do,

Nothing to kill or die for,

No religion too,

Imagine all the peopleliving life in peace...

You may say I'm a dreamer,

but I'm not the only one,

I hope some day you'll join us,

And the world will be as one

Imagine no possessions,

I wonder if you can,

No need for greed or hunger,

A brotherhood of man,

imagine all the people

Sharing all the world...

You may say I'm a dreamer,

but I'm not the only one,

I hope some day you'll join us,

And the world will live as one.

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Cidadãos Querem Transporte Coletivo para a Estrada do Capuava

- TRANSPORTE-DIREITO DO CIDADÃO, DEVER DO ESTADO-
Mulheres, algumas gestantes, homens, alguns idosos, transitam a pé todos os dias pela Estrada do Capuava premidos pela necessidade de trabalhar para sobreviver.
Após um dia de trabalho em casas de família e algumas empresas da região, retornam ainda a pé até o ponto de condução mais próximo que fica na Estrada do Embu, Jardim São Vicente, (Bairro de Cotia).
Em dias de chuva, segundo alguns, as poças d’água geradas, não por culpa da própria chuva, porém pela inépcia e desinteresse ou certos interesses dos políticos locais, ainda causam mais transtornos a estas pessoas, que muitas vezes são vítimas de motoristas deseducados e maldosos que lhes atiram água suja. Há ainda o risco de atropelamentos oriundo da falta de construção de passeio público que proteja os transeuntes fora do leito carroçável da via.
Nos dias de tempo seco, poeira e o calor ou o frio intenso são o martírio diário destes trabalhadores e trabalhadoras que deixam seus lares com sacrifício e esforço.
Por que a Estrada do Capuava ainda não tem em sua total extensão, de aproximados 4 km (quatro) quilômetros, linhas de transporte coletivo para atender a população de Cotia e de outros Municípios que a utilizam?
O Movimento RenoirLutero Livre entende esta dificuldade como uma injusta condição pela qual passam estes Cidadãos e o direito que têm de serem servidos por linha regular de coletivos.
Nestes dias, o Movimento está promovendo um Abaixo Assinado e encaminhamos o pedido a Prefeitura e órgão competentes.
A reivindicação é de linha que inicie no Terminal Urbano de Cotia em, inicialmente dois horários, o matutino entre sete e nove horas e o vespertino, entre dezesseis e dezoito horas com tarifa urbana de Cotia.
O fechamento das vias próximas a Estrada do Capuava feito pelos falsos condomínios impede que condução urbana circule nestas vias públicas o que melhoraria ainda mais o transporte das pessoas.
Vamos participar!

Sra. Luciana Giordano
p/ Movimento RenoirLutero Livre
renoirluterolivre@ig.com.br

terça-feira, 18 de setembro de 2007

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

PARA QUE VOTAR E PAGAR?

ARTIGO 21-
1-Toda pessoa tem o direito de participar do governo de seu país, diretamente ou por meio de representantes livremente escolhidos.

2-Toda pessoa tem o direito de acesso, em condições de igualdade, às funções públicas de seu país.

3- A vontade do povo é a base da autoridade do poder público; esta vontade deverá ser expressa mediante eleições autênticas que deverão realizar-se periodicamente, por sufrágio universal e igual e por voto secreto ou outro procedimento equivalente que garanta a liberdade do voto.
(Declaração Universal do Direitos do Homem (ONU-Organização das Nações Unidas-10 de Dezembro de 1948)

Para que pagarmos salários e sustentarmos vereadores, deputados, senadores... ?
Para diminuir o desemprego?
E eles e elas ainda querem aumentar o número de vereadores por Município!
Para que?
Muita gente hoje, dia 13 de Setembro de 2007, deve estar se perguntando isto.
Ao mesmo tempo, muita gente deve também estar se respondendo que se for para estes políticos virarem as costas para o povo, eleitores que lá os colocaram, de nada servem para representar este mesmo povo.
Vaidades pessoais, dinheiro, algum prestígio, privilégios, certa autoridade a qual usam mais como autoritarismo, casos sexuais com jornalistas e outros e outras, aposentadorias vitalícias, é o querem?
Em Cotia, os vereadores atuais deram, em votação unanime, o título de Cidadão Cotiano ao atual prefeito Quinzinho Pedroso! E votaram rápido.
Quanto a Lei dos Bolsões, que prejudica direitos de eleitores idem Cidadãos Cotianos e de outros Municípios, alegam dificuldades porque "o assunto" para eles "é complexo e tem um substitutivo" para ainda ser votado.
Em declaração recente, o "muito preparado" e atual vereador presidente da Câmara de Cotia quando questionado sobre buracos nas vias públicas da cidade alegou que "os buracos" até seriam úteis e deveriam ser mantidos porque serviriam "para diminuir a velocidade dos veículos" (!)
Quem pode ser chamado de político hoje, (partidário e com "p" minúsculo), deve encarar com dúvidas sua importancia e o significado objetivo da palavra, já que o termo pode ser uma ofensa oriunda do que uns 40 ou mais têm promovido e feito constar em atos secretos e não secretos.
O caminho para o Brasil que queremos ainda está longo, impedido e esburacado.
Vamos chegar lá!
Movimento RenoirLutero Livre
renoirluterolivre@ig.com.br
(ilustração superior-Sandoz 1995)

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

MAIS PROBLEMAS CAUSADOS PELOS BOLSÕES

Como se ainda não fosse muito ocupações de áreas públicas por bolsões, ("condomínios paraguaios"), e ainda cobranças por péssimos ou inexistentes serviços não solicitados, os condomínios verdadeiros quando já não são uma agressão, são uma ameaça ao que resta do meio ambiente natural da Região da Granja Viana.
No Bairro Renoir II e III e em outros Bairros travestidos em "falsos condomínios", áreas verdes e ruas estão ocupadas irregularmente e/ou áreas verdes já foram atacadas por tentativas de feituras de campos de futebol e sedes sociais configurando desrespeito às Leis Federais.
Agora, os bolsões que já causam prejuízos a população e ao Município, aumentando os trajetos e a discriminação das pessoas, facilitam também a sub-densificação com a implantação de condomínios (verdadeiros porem com características de irregularidades) dentro das áreas destes bolsões.
Para ilustração, recomendo visita ao site e matéria abaixo.
Quero lembrar que este site, talvez por ansia de sobrevivencia, anuncia junto com imobiliárias, Bairros e bolsões como “condomínios”, fato que já denunciamos inicialmente ao PROCON COTIA, (denúncia em andamento).

Site- www.granjaviana.com.br/
(procurar o canal “de olho na Granja”)
Dr. Ricardo Augusto Salgueiro
Médico
p/ Movimento RenoirLutero Livre

Matéria e Fotos (Site da Granja):
"A Granja Vianna virou a bola da vez no que se refere à especulação imobiliária.A cada dia presenciamos um novo cenário em áreas há tão pouco tempo verdes e cheias de vida.Estas fotos são de um terreno (chácara), localizado dentro do Condominio Pinus Park, a Rua Anesio Martins de Siqueira nº140, na Granja Viana, altura do Km 22,8 Raposo Tavares, final da Rua Monet.Este terreno tem uma aréa de 30 mil metros quadrados, área muito verde e nativa e foi comprada pelo mesmo empreendedor do Granja 26. O projeto já foi aprovado pela Prefeitura e prevê a construção de 53 casas, em média com 180 à 250 m2 de terreno. A construção de uma casa decorada já se iniciou, não esperaram nem o proprietário sair da casa (parece que estão com pressa). Sabemos que já foi solicitado ao DEPRN o corte das árvores, cuja autorização ainda não saiu. Porém é questão de dias para que o desmatamento se inicie.Lá existem muitas árvores centenárias, 8 araucárias, inclusive, cujo corte é crime ambiental, (vide foto) e outras mais, as quais acolhem muitos pássaros como tucanos, papagaios, pica-paus e bem-te-vis, além de esquilos, gambás e toda fauna existente nesse terreno. A preocupação de todos deveria ser: Vamos assistir o corte dessas árvores e não fazer nada? Daqui há muito pouco tempo, teremos uma Granja Vianna azulejada, como ouvi de um Granjeiro ontem...Para conhecimento de todos, esta área é a última área verde nativa desse bolsão denominado Pinus Park, no final da Rua Monet. Comparem as fotos."


Paisagista -Fátima Barbosa -fotos e texto- Site da Granja

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

PARTICIPAÇÃO do MOVIMENTO RENOIRLUTERO LIVRE na 3a Conferencia da Cidade de Cotia





O Movimento RenoirLutero Livre participou da 3ª Conferencia Municipal da Cidade de Cotia, realizada domingo, dia 26/08/2007.
Nesta ocasião, comparecemos tendo como representantes as pessoas de: Dr. Ricardo Augusto Salgueiro, Sra. Luciana Giordano, Professor Joimar de Castro Menezes e Srta. Ana Caló Motta.
Apesar da estranha insistência de outras pessoas ligadas a uma associação que é contra cobranças em loteamentos para que partipássemos de outro grupo, tínhamos presente objetivo traçado e participamos do Grupo de Discussão “As intervenções urbanas e o controle social”, tema que o Movimento RenoirLutero Livre considera importantíssimo para o restabelecimento da justiça social mormente em relação à população menos abastada do Município.
A nosso ver, os bolsões permitidos pela Lei Municipal vigente, prejudicam o direito de ir e vir de grande parte da população de Cotia e trazem outros malefícios graves a mesma população e a Municipalidade em geral.
Os loteamentos fechados, dentro dos termos legais, são uma variação muito semelhante aos bolsões e não devem ser confundidos com os condomínios de direito ou condomínios verdadeiros, porém também causam prejuízos aos direitos do povo e favorecem, dentre outras coisas, a corrupção indiscriminada.
Na participação no grupo de discussão acima, tivemos muita aceitação dos demais participantes quando colocamos a idéia de que a presença dos bolsões e loteamentos fechados prejudica o deslocamento da população em geral e mais gravemente, a parte carente da mesma que se desloca a pé, restringindo o direito de ir e vir de todos e o acesso das pessoas a serviços sociais básicos tais quais, a saúde e a educação.
Assim, conseguimos que nossa proposta pelo debate de uma legislação específica quanto aos bolsões residenciais e loteamentos fechados, (vide trecho da Ata específica abaixo), fosse incluída na proposta de criação do Conselho Municipal de Moradia e da Habitação de Interesse Social e regularização fundiária, ações intimamente ligadas à ocupação do espaço físico.










PROPOSTAS FINAIS VOTADAS – ORIUNDAS DO GRUPO do Movimento:
(Fonte - Site - COTIATODODIA)

TEMA: “AS INTERVENÇÕES URBANAS E O CONTROLE SOCIAL”
1) - Criação do Conselho Municipal de Moradia, Habitação de interesse social, regularização fundiária e urbanização: garantindo a atuação social física e jurídica na área e ainda a elaboração de uma legislação especifica quanto aos bolsões residenciais (loteamentos fechados).
2) - Que o Conselho supra citado seja responsável pela elaboração e desenvolvimento do plano municipal de moradia, habitação de interesse social, regularização fundiária e urbanização, com a criação de zeis vazias e já ocupadas, garantindo o cadastramento de todas as áreas ocupadas já sedimentadas no município;

Movimento RenoirLutero Livre
comentários para renoirluterolivre@ig.com.br

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

A INDECISÃO DOS VEREADORES DE COTIA

No momento da realização da Terceira Conferencia da Cidade de Cotia, (26/08/2007), obrigatória por Lei Federal, muitos pontos surgem como importantes e ainda não se sabe se tal Conferencia trará efeitos ou não.
Todavia, muito premente é a discussão da questão da habitação e da ocupação do solo como controvérsias presentes e originadas no fato da grande procura e especulação imobiliária em direção ao Município.
Os vereadores ainda precisam decidir a questão dos Bairros travestidos em “falsos condomínios” que surgiram com a denominação de “Bolsões”.
E estes vereadores estão protelando a votação da questionada “Lei dos Bolsões” gerando com esta atitude, desconfiança na população interessada o que poderá refletir contra eles mesmos nas próximas eleições.
Quando hesitam na realização de Sessão na Câmara para a definitiva votação, mostram fraqueza do atual grupo legislativo em assumir a verdadeira representatividade popular que delegou a estas pessoas o poder temporário de resolução de questões municipais.
O Movimento RenoirLutero Livre entende que os Bairros ocupados atualmente por “falsos condomínios” sofrem e causam problemas desnecessários :
- cobrança de contribuições ilegais para associações que se dizem sem fins lucrativos o que a própria Lei Municipal dos Bolsões não autoriza cobrar, sem falar na proibição e nos direitos garantidos nas demais Leis superiores, Federais,
-sobrecarga do Judiciário com Processos de cobrança, indevida em muitos casos, excetuando as cobranças dos associados voluntários e casos omissos e de “gercismo”.
-discriminação de populações limítrofes (Bairros vizinhos aos Bolsões),
-custos aumentados para a Municipalidade em geral
e outros problemas...
Afinal, desde a implantação desta Lei nos meados da década de 1990, somente problemas e distorções foram causados por ela.
Vejam as publicações anteriores neste mesmo Blog e a participação do Movimento RenoirLutero Livre na Audiência Pública sobre o assunto neste ano de 2007.
Dentre as entidades que mais aparecem no cenário na Cotia de hoje, associações de vítimas de pouco ou nenhum resultado prático, oligarquias políticas, os vereadores também tem sido muito pouco eficazes na solução e muito lentos nas respostas ao quesito “Lei dos Bolsões”.
Aos vereadores, CUIDADO, porque em 2008 poderão ser cobrados nas eleições pela própria indecisão!

Dr. Ricardo Augusto Salgueiro
Médico
p/ Movimento RenoirLutero Livre

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

CARTILHA DE COMBATE A CORRUPÇÃO-PREFEITURAS

Todos sabemos pela chamada imprensa, (atual mídia em geral), que campeia a praga da corrupção nas instituições públicas do Brasil.
Os dicionários, em sua maioria, definem a palavra CORRUPÇÃO como:
apodrecer, decompor, alteração, depravação, estragar, perverter-se, desencaminhar, perder, devassidão...
Sociedades corrompidas ou, pelo menos e felizmente, em parte corrompidas geram, logicamente, governos depravados, estragados, pervertidos, desencaminhados, perdidos na devassidão...
A cartilha "O COMBATE A CORRUPÇÃO NAS PREFEITURAS DO BRASIL" editada pela AMARRIBO (Amigos Associados de Ribeirão Bonito) visa facilitar o trabalho pela Cidadania daqueles que, como nós, lutamos pela sonhada integridade moral nacional.
Movimento RenoirLutero Livre
comentários para renoirluterolivre@ig.com.br

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

SAPAR - FALSA SEGURANÇA-Relato (e foto) de Autuação pela PM de Motorista da "Securitá" no Bairro Renoir II e III

O Movimento RenoirLutero Livre por várias vezes, em panfletos, em cartas publicadas no Jornal d'aqui e em várias outras publicações neste mesmo Blog, alertou para a pretensa segurança que a Sapar diz oferecer e ainda tem a pachorra de cobrar.
Todos pagamos impostos e queremos ver retorno por parte do Poder Público.
A vigilancia particular, prestada fora do Poder Público, pode ser contratada por quem quiser ter este serviço, mas quem contrata deve se responsabilizar totalmente pelos atos e consequencias destes atos dos seus contratados (Código Civil Brasileiro).
Mais uma vez, a brilhante presença da Polícia Militar averiguando e verdadeiramente policiando o Bairro, flagrou a precariedade e talvez, a "ponta de um iceberg" de mais ilegalidades cometidas pela Sapar e pela Administradora Verde.
Estas, Sapar, Azzi (a administradora anterior) e a Verde Administradora, já contrataram várias empresas para forçar a prestação do serviço de "segurança" no Bairro, sendo que uma dessas empresas era composta por marginais que foram presos dias após como receptadores de veículos em Caucaia do Alto.
A incompetencia da Sapar e da Verde Administradora agora contrata a tal "Securitá" empresa que coloca em risco os moradores do Bairro permitindo que, em vias públicas, um condutor sem habilitação em dia, conduza veículos. Certamente não contavam, neste caso, com a presença do Poder Público, da Polícia Militar atuando corretamente e como deve ser, nas vias públicas do Município.
Temos informações de várias ocorrencias recentes no Bairro apesar da "segurança"da Sapar, (roubos, furtos, tiro em cães...)
Agora todos poderão tomar ciencia de fato ocorrido em 12/08/2007 e observado por três moradores do Bairro:
P/ MOVIMENTO RENOIRLUTERO LIVRE
RELATO:
(por e-mail)
"Dia dos Pais com Segurança????
Ocorrência policial dentro do Renoir II e III".

Com grande indignação e preocupação, presenciamos no domingo 12/08/2007, (dia dos Pais), uma ocorrência policial dentro do loteamento Renoir III.
Domingo, ao passearmos no final da tarde, mais precisamente às 16h45, avistamos na Rua Biritiba Mirim, abaixo do número 206, uma viatura policial (PM) placa CMW 6532 e um carro da Securittá placa DPR 3343. Ao indagar o policial presente, Cabo Lima Filho, soubemos que em abordagem de rotina verificaram que o motorista do carro da Securittá, Raimundo Aparecido Nunes apresentou sua habilitação vencida desde 2006 e que o mesmo teria sua carteira apreendida e não poderia conduzir mais o carro da empresa.
É um absurdo que um grupo minoritário do Bairro, (SAPAR), esteja colocando para rondar neste loteamento um motorista desabilitado!!!!
Como podemos ficar tranqüilos, quando esta companhia, dita de segurança, contratada pela SAPAR, tem esta conduta com a própria documentação de seus funcionários?
Como podemos ficar tranqüilos e continuar a deixar nossos filhos andarem a pé ou de bicicleta nas ruas do Bairro?
Diante deste fato nos perguntamos:
Será que é apenas um caso isolado ou é uma duvidosa conduta desta empresa?
A mais ou menos 3 anos perdemos em pleno Alto de Pinheiros, na Praça Vicentina de Carvalho, um primo de 15 anos (Guilherme Mendes de Almeida), fato amplamente divulgado pela mídia. Nosso primo foi assassinado por um funcionário de uma empresa de segurança em ronda por motivo fútil. Verificou-se posteriormente que esta empresa não tinha a documentação necessária para seu funcionamento e que nem o cadastro correto de seus funcionários ela dispunha.
Para nós a segurança deve ser feita por policiais militares, civis ou municipais, como foi feita neste domingo em nosso bairro e não por contratação de firmas de segurança, que é sempre duvidosa e um risco. Somos contra ronda particular.
Segue abaixo foto do fato ocorrido.
Relato e foto por: Alberto Motta, Patrícia Moldan e Isabel Motta















Comentário recebido por e-mail (renoirluterolivre@ig.com.br)
"Já é bem conhecido que mais de 70% de todos os roubos e assaltos a bancos, empresas e condomínios de luxo são feitos com participação de seguranças que trabalharam ou que ainda trabalham no local. A maioria de seqüestros também são feitos com ajuda de seguranças que conhecem bem a movimento de família da pessoa envolvida. Isso não que dizer que todos são ruins ou que todos os seguranças são suspeitos, mas só pode ser ignorância, ganância ou arrogância que faz com que associações de moradores como SAPAR, administradas por grupos como AZZI ou VERDE ainda atuem ilegalmente dentro do Bairro pondo em risco todo mundo, só por capricho de poucos. A presença da policia mais uma vez e um sinal para eles que estas ruas são públicas e aqui não é condomínio deles!"
Navid Tahamtani

terça-feira, 7 de agosto de 2007

BENS SOCIAIS PARA QUALIDADE DE VIDA

As políticas públicas estão, em geral, equivocadas.
A pobreza está mantida e/ou aumenta para populações cada vez maiores.
E pode-se entender por pobreza tudo que restrinja o acesso das pessoas, destas populações, aos bens sociais que são melhorias sustentáveis para a verdadeira e real QUALIDADE DE VIDA.
Muitos outros são iludidos pela distorção dos conceitos de qualidade de vida, quando as más intenções surgem atribuindo destaque sem valor a pretensos fatores de qualidade como simples e precária segurança, a asfalto e pavimentos outros, iluminação pública e o apartar presencial de pessoas menos abastadas de bairros vizinhos a bairros e aglomerados de classe média.
Por isto, ao impedirmos a colocação de portões numa Estrada Municipal, homenageamos a População dos Bairros Vizinhos, muitas vezes sacrificada em seus direitos, obrigada a aumentar seus percursos a pé porque se colocou um muro ou uma guarita numa via pública.
Vias públicas, nem preciso lembrar, são para todos! Apoderação de vias e áreas públicas é, além de uma ilegalidade, uma violência desumana contra populações quase sempre menos abastadas.
Guaritas e porteiros muitas vezes constrangem as pessoas e impõe-se, violenta e injustamente, a sensação de propriedade privada em relação a vias e áreas públicas que pertencem à coletividade.
Assim, estas pessoas passam a evitar contato ou proximidade com estes aglomerados de classe média evitando o constrangimento.
As ações do Movimento RenoirLutero Livre devem sempre procurar conceder apoio às populações menos favorecidas contribuindo desta maneira para a redução de mais
pobrezas sociais.

Dr. Ricardo Augusto do Carmo Salgueiro
Médico
p/ Movimento RenoirLutero Livre

link sugerido:
htpp://www.care.org.br/
comentários para renoirluterolivre@ig.com.br ou ao lado, no link “comentários”

Comunicado número 11 (em Agosto de 2007) e Mensagens recebidas

Mensagem de morador e família do Bairro Renoir II e III:
"Fico feliz em ver os resultados do Movimento. Fiquei mais entusiasmado pelo Movimento depois que soube do resultado do rechaço pela justiça contra a construção das portarias. Parabens a todos!"

domingo, 29 de julho de 2007

MEMÓRIA CURTA? IMPUNIDADE NÃO!

DIRETORIAS CORRUPTAS E INCOMPETENTES...

SÃO CRIANÇAS INOCENTES?
DOENTES?
CULPA DA CHUVA?
NÃO!

PUNIÇÃO SIM!



porque:
INCOMPETENTES ADULTOS DEVEM SER PUNIDOS!


PARA QUE TUDO NÃO SE REPITA!












SAPAR, FALSOS GOVERNOS...FALSOS CONDOMÍNIOS, GOVERNO DE COTIA, GOVERNO DAS EMPRESAS, PRIVILÉGIOS ...VERDES ADMINISTRADORAS....
LAMA!


DISCRIMINAÇÃO,GOVERNO FEDERAL, INFRAERO...


DESPERDÍCIO DO DINHEIRO PÚBLICO, MAIS ADMINISTRADORAS...


FALSA SEGURANÇA,

FALSAS COBRANÇAS, LAVAGEM DE DINHEIRO...

SÓ FACHADA E APARENCIA!



MORTES, PESSOAS PREJUDICADAS... DANOS E PERDAS...

ABUSOS, CORRUPÇÃO, ANAC...

FALTA DE FISCALIZAÇÃO!

APODERAÇÃO ILEGAL DE VIAS E DE ÁREAS PÚBLICAS
SÓ MENTIRA E OBRAS DE FACHADA!
_______________________________________
comentários para

Movimento RenoirLutero Livre